Já pensou no Brasileirão sem avião?

Imagine o seguinte cenário: você está em São Paulo no domingo, quarta-feira tem um compromisso em Buenos Aires, na Argentina, e no domingo seguinte você chega a Salvador, na Bahia. Três cidades distantes em apenas sete dias. Já parou para pensar que essa é a rotina dos grandes clubes brasileiros de futebol todo ano? Só o avião possibilita que tal roteiro seja concretizado com até dois jogos por semana, seja no futebol ou em qualquer competição esportiva em nível profissional.

Nosso país, que conta com o Campeonato Brasileiro (que se inicia neste sábado, 27), a Copa do Brasil e os torneios estaduais, tem aproximadamente 8,5 milhões de quilômetros quadrados (km²) de área. A América do Sul, dos torneios continentais, como Libertadores e Copa Sul Americana, tem 17,8 milhões de km², o equivalente a 2,5 bilhões de campos de futebol. “Levando em consideração o tamanho do nosso país e do continente, seria inviável cumprir o extenso calendário de jogos ao longo do ano sem usar o avião”, diz o supervisor de logística do Palmeiras, Leonardo Piffer.

O clube paulista, atual campeão brasileiro, percorreu em 2018 cerca de 81 mil km para jogar quatro competições: campeonato estadual, Brasileirão, Copa do Brasil e Libertadores da América. A distância equivale a aproximadamente 81 viagens entre o Rio de Janeiro (RJ) e Brasília (DF). Mais de 98% do total percorrido foi realizado de avião: 79,4 mil km. É como viajar na ponte aérea Rio-São Paulo por 198 vezes.

Foram 37 partidas fora de seus domínios. A equipe só utiliza transporte terrestre para embates contra Santos, São Paulo e Corinthians, no campeonato nacional e estadual, e em viagens a menos de 300 km da capital no campeonato estadual, para destinos como Campinas, São Caetano do Sul e Itu.

 

Fora de casa, desde 1975

O gaúcho Rubens Marques, bancário aposentado, acompanha o Internacional desde o berço, praticamente. Hoje, vai com frequência ao estádio Beira-Rio, casa do Colorado, e viaja pelo país e exterior para ver o time. “Meu pai me levava aos treinos desde pequeno, inclusive participei da inauguração do Beira-Rio em 1969. Sempre respirei futebol. Acompanhar o Inter, em casa ou fora, é uma consequência dessa paixão”, diz. A primeira viagem longa para acompanhar o time foi em 1975, para o Rio de Janeiro, quando o Inter bateu o Fluminense por 2×0, no Maracanã, e se classificou para a final do Campeonato Brasileiro. O Inter ganharia, dias depois, o título em cima do Cruzeiro. “Eu tinha 18 anos na época e estava estudando para o vestibular. Lembro que perdi uma prova preparatória por causa desse jogo. Meu pai ficou uma fera”, recorda Marques, gargalhando.

A primeira empreitada, recorda, foi de ônibus. “Naquela época, viajar de avião era muito caro. Sem contar que não existiam as facilidades que se tem hoje, como pesquisa na internet, diversas formas de pagamento e maior oferta de voos. Para comprar passagem tinha que ir direto ao guichê da companhia aérea”, observa. “Hoje, muitas vezes, a passagem aérea sai mais barata que o bilhete de ônibus”, complementa. A primeira viagem aérea para ver o Inter veio quatro anos depois, em 1979, em outro jogo marcante: contra o Palmeiras, no Morumbi em São Paulo, também pela semifinal do campeonato nacional. O Inter bateu a equipe paulista por 3×2. Também seria campeão nacional naquele ano.

 

40 mil quilômetros em 2018

No ano passado, Marques viajou cerca de 40 mil km para acompanhar 16 jogos do Inter fora de casa pelo Campeonato Brasileiro. O trajeto mais curto foi dentro da própria capital gaúcha, no embate contra o maior rival, o Grêmio: 24 km, ida e volta partindo do Estádio Beira-Rio. O mais longo foi de 6 mil quilômetros, para Salvador, na partida contra o Bahia. Dos 16 trajetos, apenas cinco foram feitos de ônibus (viagens para Chapecó/SC, Curitiba/PR, Santos/SP e Rio de Janeiro/RJ, além do trajeto dentro de Porto Alegre para o clássico Gre-Nal). Confira no infográfico abaixo algumas curiosidades:

 

Quer acompanhar seu time? Fique atento a estas dicas: 

– Monte um planejamento a partir do calendário de jogos do seu clube, mas com cautela. É importante salientar que, mesmo com planejamento de compra antecipada de passagens aéreas, as entidades responsáveis pelas competições e até mesmo os clubes podem solicitar alterações nas datas de jogos. Uma boa dica é a seguinte: se o jogo do seu time está marcado para domingo em Belo Horizonte, tente chegar à cidade no sábado pela manhã. Assim, caso haja antecipação do jogo para sábado você poderá acompanhar.

– Se possível, compre os ingressos com antecedência pela internet, principalmente em jogos decisivos. Em partidas de menor importância é possível comprar ingressos no setor de visitante sem grandes problemas. Fique atento aos sites do seu time e do clube mandante para acompanhar as notícias sobre venda de ingressos. Vale fazer isso a partir de uma semana de antecedência do jogo.

– Confira se o seu time possui consulado ou grupo de torcedores na cidade que você irá visitar. Consulados costumam promover encontros antes das partidas, para que todos cheguem ao estádio em grupo.

– Vai dormir na cidade? Não esqueça de garantir sua hospedagem, principalmente se a data do jogo coincide com feriados ou grandes eventos, como por exemplo o Rock in Rio, no Rio de Janeiro (em setembro e outubro de 2019). Hotéis, hostels e aplicativos de hospedagem são muito procurados neste tipo de cenário.

– Confira qual tarifa de bilhete aéreo você adquiriu. A tarifa promocional, por exemplo, não dá direito a despacho de bagagem. Neste caso, você terá que pagar para usufruir do serviço ou utilizar uma mala de mão na cabine, que deve respeitar as medidas de 55 cm de altura, 35 cm de largura e 25 cm de profundidade. É possível também transportar um item pessoal como mochila, bolsa ou sacola, desde que caiba abaixo do assento.

– Não se esqueça da documentação! São aceitos para embarque documentos com fotografia, como Cédula de Identidade, Carteira Nacional de Habilitação (CNH), Carteira de Trabalho ou Passaporte. Se você vai acompanhar seu time no exterior, confira no site do Itamaraty se o país que você irá visitar solicita a apresentação de passaporte, visto ou somente a cédula de identidade (emitida há menos de 10 anos).

– Fique atento às promoções das companhias aéreas, que geralmente são realizadas nos fins de semana.

– Tudo pronto para a viagem? Confira o status do seu voo no site da companhia aérea. Problemas climáticos, como chuva ou neblina, e problemas operacionais podem atrasar o seu voo. Programe-se para chegar com antecedência de, no mínimo, uma hora antes do voo.

Veja dicas do torcedor Rubens Marques

Acesse todas as notícias