Demanda doméstica recua em maio após 26 meses de crescimento

As estatísticas gerais consolidadas da aviação doméstica brasileira (considerando operações de todas as associadas ABEAR e demais empresas atuantes no mercado nacional) registraram baixa neste mês de maio na comparação com igual intervalo do ano anterior. A demanda por viagens dentro do país teve retração de 2,11% – primeiro recuo do indicador após um ciclo de alta continuada de 26 meses, iniciado a partir de março/17. A oferta, que já havia visto em abril fim de uma etapa continuada de expansão de 21 meses (desde junho/17), teve diminuição de 7,95% na comparação anual. Com a oferta diminuindo muito mais sensivelmente do que a demanda, o fator de aproveitamento dos voos, todavia, teve incremento de 4,88 pontos percentuais, situando-se em 81,76% no mês. Seguindo os recuos de oferta e demanda, a quantidade de passageiros transportados nos voos domésticos teve decréscimo de 1,12% em maio, baixando a 7,2 milhões de viajantes. De forma semelhante à demanda, o volume de passageiros teve interrompida etapa de crescimento de 26 meses.

A partir desta publicação, as estatísticas mensais da ABEAR apresentam os resultados das operações de AVIANCA, GOL, LATAM, MAP, PASSAREDO e TWOFLEX (que respondem por pouco mais de 83% do mercado) e o total agregado das demais empresas brasileiras atuantes na aviação nacional, abrangendo 100% da demanda doméstica. Os consolidados mensais anteriores a este, utilizados para as análises, estão revistos segundo idêntica metodologia.

Acumulado no ano

Em comparação com os cinco primeiros meses de 2018, o acumulado de janeiro a maio desse ano registra crescimento de demanda de 2,44%. Sob o mesmo prisma, a oferta evolui 0,33%. O fator de aproveitamento no período é de 82,32%, com melhoria de 1,69 ponto percentual. Somam pouco mais de 38,6 milhões os passageiros transportados em viagens domésticas, contingente 2,58% maior do que o registrado há um ano.

MERCADO INTERNACIONAL

Assim como mencionado para o mercado doméstico, para o mercado internacional as estatísticas das associadas ABEAR estão agora apresentadas juntamente com o agregado das demais companhias brasileiras. Este grupo de empresas representa cerca de 30% das operações aéreas internacionais envolvendo o Brasil. A parcela restante é detida por empresas de bandeira estrangeira.

Em comparação com maio de 2018, a demanda por transporte aéreo internacional entre as aéreas brasileiras teve crescimento de 5,58% no mês. A oferta, por sua vez, se manteve absolutamente estável em relação ao nível de maio/18. Com a demanda crescendo enquanto a oferta ficou estagnada, o fator de aproveitamento teve incremento de 4,54 pontos percentuais, indo a em 85,96% no mês. Os passageiros transportados nos voo internacionais totalizaram 678 mil em maio, volume 2,93% maior do há um ano.

Na série histórica das aéreas brasileiras no mercado internacional, a demanda cresce de forma ininterrupta há 32 meses. O total de passageiros retoma o crescimento depois de ver, em abril, encerramento de um período de 30 meses de crescimento contínuo. A oferta, que teve em abril finalizada etapa de 29 meses de expansão persistente, ainda aguarda a volta do crescimento.

Acumulado no ano

No acumulado de janeiro a maio, a demanda internacional tem crescimento de 8,00%, variação alinhada com a expansão da oferta, que teve expansão de 7,96%. Desta forma, o fator de aproveitamento resultante mostra virtual estabilidade (variação positiva de 0,03 ponto percentual) em 83,16% de ocupação das operações. O total de passageiros transportados fica pouco abaixo de 4 milhões, contingente 2,83% superior do que há um ano.

TRANSPORTE DE CARGAS

As estatísticas de carga incluem as operações das associadas AVIANCA, GOL, LATAM, LATAM CARGO e TWOFLEX, além do registro agregado dos transportes realizados pelas demais empresas brasileiras. Os números de MAP e PASSAREDO têm hoje caráter de registro estatístico.

O conjunto destas empresas transportou pouco mais de 34 mil toneladas de carga no mercado doméstico em maio (alta de 3,64%) e 17,8 mil toneladas no mercado internacional (baixa de 25,63%).

No acumulado dos cinco primeiros meses do ano foram movimentadas 157,4 mil toneladas de carga em rotas domésticas (crescimento de 3,33%) e 98 mil toneladas nas rotas internacionais (recuo de 16,48%).

Confira as planilhas completas para download com as estatísticas mensais e os infográficos das séries históricas na área de Dados e Fatos do site da ABEAR. Confira também o glossário com os principais termos utilizados.

Acesse todas as notícias