Clipping

25/10/18

CLIPPING 25/10/2018

JORNAL O GLOBO

Leilões de aeroportos ficam para 2019

https://oglobo.globo.com/economia/leiloes-de-aeroportos-ficam-para-2019-23183383

Privatização do aeroporto de Macaé enfrenta mais um problema

https://oglobo.globo.com/economia/privatizacao-do-aeroporto-de-macae-enfrenta
-mais-um-problema-22897431

Barcelona abre investigação sobre caso de racismo em voo da Ryanair

https://oglobo.globo.com/sociedade/barcelona-abre-investigacao-sobre-caso-de-racismo
-em-voo-da-ryanair-23180859

 

JORNAL DO BRASIL

IATA prevê o dobro da quantidade de passageiros de avião para 2037

https://www.jb.com.br/economia/2018/10/950321-iata-preve-o-dobro-da-quantidade
-de-passageiros-de-aviao-para-2037.html

Demanda internacional por voos aumenta 16,02% em setembro, diz Abear

https://www.jb.com.br/economia/2018/10/950229-demanda-internacional-por-voos-aumenta
-16-02-em-setembro-diz-abear.html

Boeing espera um faturamento de US$ 100 bilhões para 2018

https://www.jb.com.br/economia/2018/10/950225-boeing-espera-um-faturamento
-de-us-100-bilhoes-para-2018.html

Demanda doméstica por voos cresce 2,59% em setembro, diz Abear

https://www.jb.com.br/economia/2018/10/950197-demanda-domestica-por-voos-cresce
-2-59-em-setembro-diz-abear.html

 

O ESTADO DE SÃO PAULO

TCU dá sinal verde para conceder 12 aeroportos em 2019

https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,tcu-da-sinal-verde-para
-conceder-12-aeroportos-em-2019,70002562645

Polícia Federal apreende 11 fuzis no terminal de cargas do
Aeroporto Santos Dumont

https://brasil.estadao.com.br/noticias/rio-de-janeiro,policia-federal-apreende
-11-fuzis-no-terminal-de-cargas-do-aeroporto-santos-dumont,70002561333

 

CORREIO BRAZILIENSE

Demanda internacional por voos aumenta 16,02% em setembro, diz Abear

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2018/10/24/internas_economia
,714731/demanda-internacional-por-voos-aumenta-16-02-em-setembro-diz-abear.shtml

 

O ESTADO DE MINAS

Demanda internacional por voos aumenta 16,02% em setembro, diz Abear

https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2018/10/24/internas_economia,999657/demanda
-internacional-por-voos-aumenta-16-02-em-setembro-diz-abear.shtml

Demanda doméstica por voos cresce 2,59% em setembro, diz Abear

https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2018/10/24/internas_economia,999641/
demanda-domestica-por-voos-cresce-2-59-em-setembro-diz-abear.shtml

 

G1

Governo Federal inclui aeroporto de Macapá em projeto que prevê
acelerar obras em todo o país

https://g1.globo.com/ap/amapa/noticia/2018/10/25/governo-federal-inclui-aeroporto
-de-macapa-em-projeto-que-preve-acelerar-obras-em-todo-o-pais.ghtml

Voo é desviado do aeroporto de Salvador por conta do mau tempo

https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/2018/10/24/voo-e-desviado-do-aeroporto-de
-salvador-por-conta-do-mau-tempo.ghtml

Torre de controle do aeroporto de Sorocaba ganhará equipamentos
de navegação aérea

https://g1.globo.com/sp/sorocaba-jundiai/noticia/2018/10/24/torre-de-controle-do
-aeroporto-de-sorocaba-ganhara-equipamentos-de-navegacao-aerea.ghtml

Nota de Aeroporto de Florianópolis sobe, mas terminal segue com
pior avaliação entre 20 maiores do Brasil

https://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2018/10/24/nota-de-aeroporto-de
-florianopolis-sobe-mas-terminal-segue-com-pior-avaliacao-entre-20-maiores-do-brasil.ghtml

Tráfego aéreo doméstico cresce em setembro, aponta Abear

https://g1.globo.com/economia/noticia/2018/10/24/trafego-aereo-domestico
-cresce-em-setembro-aponta-abear.ghtml

Número de passageiros de aéreas no mundo deve dobrar em 2037,
estima Iata

https://g1.globo.com/economia/noticia/2018/10/24/numero-de-passageiros-de
-aereas-no-mundo-deve-dobrar-em-2037-estima-iata.ghtml

 

ÉPOCA NEGÓCIOS

Passagens aéreas estão mais baratas a dois meses das férias

https://epocanegocios.globo.com/Brasil/noticia/2018/10/passagens-aereas
-estao-mais-baratas-dois-meses-das-ferias.html

 

JORNAL GLOBONEWS

Passageiros estão insatisfeitos com serviços em aeroportos,
diz levantamento

http://g1.globo.com/globo-news/jornal-globo-news/videos/v/passageiros-estao
-insatisfeitos-com-servicos-em-aeroportos-diz-levantamento/7111631/

 

DCI

Demanda internacional por voos aumenta 16,02% em setembro, diz Abear

https://www.dci.com.br/economia/demanda-internacional-por-voos-aumenta-16-02-em
-setembro-diz-abear-1.752140

Demanda por viagem aérea doméstica salta 2,5% em setembro

https://www.dci.com.br/servicos/demanda-por-viagem-aerea-domestica-salta
-2-5-em-setembro-1.752320

TCU dá sinal verde para conceder 12 aeroportos, mas leilão
ficará para 2019

https://www.dci.com.br/servicos/tcu-da-sinal-verde-para-conceder-12-aeroportos
-mas-leil-o-ficara-para-2019-1.752372

Azul e Turkish Airlines intensificam cooperação com acordo que
integra programas de fidelidade

https://www.dci.com.br/servicos/azul-e-turkish-airlines-intensificam-cooperac-o
-com-acordo-que-integra-programas-de-fidelidade-1.752233

Demanda por voos domésticos cresce 2,6% em setembro, diz Abear

https://www.dci.com.br/servicos/demanda-por-voos-domesticos-cresce-2-6-em
-setembro-diz-abear-1.752114

 

PANROTAS

Clientes Delta One poderão escolher cardápio antes do voo

https://www.panrotas.com.br/aviacao/empresas/2018/10/clientes-delta
-one-poderao-escolher-cardapio-antes-do-voo_159818.html

Lufthansa transporta 13,7 milhões de passageiros em setembro

https://www.panrotas.com.br/aviacao/empresas/2018/10/lufthansa-transporta
-137-milhoes-de-passageiros-em-setembro_159816.html

Gol aumentará voos diretos entre Campinas (SP) e Brasília

https://www.panrotas.com.br/aviacao/empresas/2018/10/gol-aumentara
-voos-diretos-entre-campinas-sp-e-brasilia_159813.html

Iata solicita planos de contingência para Reino Unido e UE

https://www.panrotas.com.br/aviacao/empresas/2018/10/iata-solicita
-planos-de-contingencia-para-reino-unido-e-ue_159812.html

Turkish estuda aumentar capacidade para Brasil e A. Latina

https://www.panrotas.com.br/aviacao/novas-rotas/2018/10/turkish-planeja
-aumentar-capacidade-para-brasil-e-america-latina_159810.htm
l

Azul e Turkish compartilharão programas de fidelidade

https://www.panrotas.com.br/aviacao/empresas/2018/10/azul-e-turkish
-compartilharao-programas-de-fidelidade-detalhes_159806.html

Alitalia remaneja rotas durante obras no aeroporto de Linate

https://www.panrotas.com.br/aviacao/empresas/2018/10/alitalia-remaneja
-rotas-durante-obras-no-aeroporto-de-linate_159805.html

Boeing alcança US$ 25,1 bilhões em receita no 3T

https://www.panrotas.com.br/aviacao/empresas/2018/10/boeing
-alcanca-us-251-bilhoes-em-receita-no-3t_159802.html

Iata: Aviação irá transportar 8,2 bi de passageiros em 2037

https://www.panrotas.com.br/aviacao/pesquisas-e-estatisticas/2018/10/iata
-aviacao-ira-transportar-82-bi-de-passageiros-em-2037_159794.html

Demanda aérea doméstica sobe 2,6%; inter cresce 16,2%

https://www.panrotas.com.br/aviacao/tecnologia/2018/10/demanda
-domestica-sobe-26-em-setembro-inter-cresce-162_159796.html

Viagens corporativas em low costs crescem na Ásia-Pacífico

https://www.panrotas.com.br/viagens-corporativas/aviacao/2018/10/viagens
-corporativas-em-low-costs-crescem-na-asia-pacifico_159783.html

 

MERCADO E EVENTOS

Delta apresenta novo cardápio e expande serviços de experiência a bordo

https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/delta-apresenta-novo-cardapio
-e-expande-servicos-de-experiencia-a-bordo/

Gol terá três voos diários entre Campinas e Brasília

https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/gol-amplia
-voos-diretos-entre-campinas-e-brasilia/

Corte de capacidade faz Aeromexico cancelar cinco voos para os EUA

https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/corte-de-capacidade-faz
-aeromexico-cancelar-cinco-voos-para-os-eua/

Lufthansa negocia aeronave substituta do A340 com Airbus e Boeing

https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/lufthansa-negocia-aeronave
-substituta-do-a340-com-airbus-e-boeing/

Com acordo entre programas de fidelidade, Azul e Turkish ampliam parceria

https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/apos-codeshare-azul-e-turkish-firmam
-parceria-entre-programas-de-fidelidade/

Gol inaugura laboratório de inovação para aprimorar experiência de voo

https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/gol-inaugura-laboratorio-de
-inovacao-para-aprimorar-experiencia-de-voo/

Azul volta a adiar início das operações do A330-900neo

https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/azul-volta-a
-adiar-inicio-das-operacoes-do-a330-900neo-para-fevereiro-de-2019/

Galeão, Viracopos e Vitória são eleitos os melhores aeroportos do
País no 3T18

https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/galeao-viracopos-e-vitoria
-sao-eleitos-os-melhores-aeroportos-do-pais-no-3t18/

Gol segue na liderança doméstica e Latam domina internacional
até setembro

https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/gol-segue-na-lideranca
-da-aviacao-domestica-e-latam-domina-inter-ate-setembro/

Procura por viagens aéreas no Brasil cresce 2,59% em setembro, diz Abear

https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/procura-por-viagens-aereas-no
-brasil-cresce-259-em-setembro-diz-abear/

 

JORNAL DE TURISMO

Azul é eleita melhor companhia da América Latina em premiação
inédita da Kayak

https://www.jornaldeturismo.tur.br/agencias-de-viagens/81725-azul-e-eleita-melhor
-companhia-da-america-latina-em-premiacao-inedita-da-kayak

Gol inaugura voos diretos para os Estados Unidos

https://www.jornaldeturismo.tur.br/aviacao/81726-gol-inaugura
-voos-diretos-para-os-estados-unidos

 

VALOR

Iata: Tráfego aéreo de passageiros vai atingir 8,2 bilhões até 2037 

Por Cibelle Bouças | Valor 

SÃO PAULO  -  (Atualizada às 17h08) A demanda mundial pelo transporte aéreo vai crescer
a uma taxa anual média de 3,5% ao ano entre 2017 e 2037, de acordo com estimativa da
Associação Internacional do Transporte Aéreo (Iata), que representa as 290 maiores
empresas aéreas do mundo, responsáveis por 82% do tráfego global. 

Com esse ritmo de crescimento, o total de passageiros poderá dobrar em relação ao número
atual, chegando a 8,2 bilhões de passageiros em 2037. No estudo anterior, divulgado em
2015, a Iata previa um crescimento médio anual de 3,8% ao ano até 2034. 

A Iata ponderou que as perspectivas de crescimento podem ser restringidos se os governos
adotarem medidas protecionistas em relação ao setor. “Prevemos um impacto negativo
significativo sobre o crescimento da aviação, se medidas protecionistas duras e restritivas
forem implementadas”, disse Alexandre de Juniac, diretor geral e presidente executivo
da Iata.

De acordo com as estimativas da entidade, o aumento da demanda por tráfego aéreo poderá
crescer de 2,4% a 5,5% ao ano, dependendo da evolução do cenário político e do
desenvolvimento de estratégias mais ou menos protecionistas. O impacto pode ser um
aumento de passageiros de 1,4 bilhão e 3,2 bilhões, dependendo do cenário mais otimista
ou pessimista.

Entre os principais mercados globais de aviação, a Iata projeta que a China será o maior
mercado de passageiros do mundo até 2037, com a adição de 1 bilhão de passageiros,
chegando a 1,6 bilhão de passageiros por ano. Os Estados Unidos terá um aumento de
481 milhões de passageiros em 20 anos, chegando a 1,3 bilhão. 

A Índia terá um aumento de 414 milhões de passageiros, para 572 milhões de passageiros
até 2037. A Indonésia vai ampliar o total de passageiros em 282 milhões, para 411 milhões.
A Tailândia vai crescer em 116 milhões de passageiros, para 214 milhões. 

A Iata observou que há um rearranjo geográfico do tráfego aéreo mundial para o Oriente. 

A região Ásia-Pacífico vai ampliar o total de passageiros em 2,35 bilhões até 2037, chegando
a 3,9 bilhões de passageiros. O ritmo de crescimento anual será de 4,8%, o mais alto no
mundo. 

Na América do Norte, o crescimento médio anual é estimado em 2,4%, com adição de 527
milhões de passageiros, para 1,4 bilhão. Na Europa, o crescimento médio esperado é de
2% ao ano, com adição de 611 milhões de passageiros, para 1,9 bilhão. No Oriente médio,
o crescimento estimado é de 4,4% ao ano, com adição de 290 milhões de passageiros,
para 501 milhões. Na África, a Iata espera crescimento de 4,6% ao ano, em média, com
adição de 199 milhões de passageiros, para 334 milhões. 

América Latina e Brasil 

Na América Latina, a demanda da aviação crescerá, em média, 3,6% ao ano, com aumento
de 371 milhões de passageiros, para 731 milhões. Para o Brasil, a Iata estima um
crescimento médio anual de 3,7%, com adição de 93,7 milhões de passageiros no período.
A entidade estima que, com esse desempenho, o Brasil vai voltar à quinta posição no
mercado global de aviação em 20 anos, ultrapassando o Japão.

Juniac disse em sua apresentação que o aumento das tensões no comércio global podem
afetar o ambiente de aviação nos próximos anos. O executivo cita como fatores de
preocupação a disputa comercial entre Estados Unidos e China e a necessidade de um
plano de contigência no caso de um “Brexit sem compromisso”. 

A Iata também observou que há uma crise de infraestrutura no setor de aviação. “Os
aeroportos e o controle aéreo não serão capazes de lidar com a demanda, a esse ritmo de
crescimento. Esse é um problema que não vai se resolver rapidamente. Governos e
operadoras de infraestrutura precisam planejar o futuro”, afirmou Juniac. 

Brexit 

A Iata informou hoje que a saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit) pode ter
implicações importantes para o mercado de aviação. A entidade pediu aos governos
envolvidos uma ação urgente para resolver questões como direitos do tráfego aéreo,
segurança e gestão de frotas, e evitar problemas no setor. 

A Iata solicitou a implantação de planos de contingência para dar continuidade aos serviços
aéreos, no caso de um Brexit sem acordo. 

“Não existem acordos de contingência disponíveis em um cenário de Brexit sem acordo.
Faltando menos de seis meses para o Brexit, temos um pouco mais de certeza do que em
junho de 2016 [quando foi anunciado o Brexit]”, criticou de Juniac. 

O pedido de atenção ao setor de transporte aéreo foi feito no mesmo dia em que a Iata
divulgou um estudo sobre os impactos para o setor com a saída do Reino Unido da União
Europeia. 

De acordo com a entidade, mesmo se for acordada uma fase de transição do Brexit, para o
período após março de 2019, o segmento ainda enfrentará um alto grau de incerteza e riscos. 

A associação defende que a União Europeia e o Reino Unido façam um acordo abrangente
de serviços aéreos, preservando a conectividade entre países que existe hoje. 

 

Tráfego aéreo doméstico cresce em setembro, aponta Abear 

Por Cibelle Bouças | Valor 

SÃO PAULO  -  O tráfego na aviação doméstica brasileira aumentou 2,59% em setembro,
em comparação com o mesmo mês de 2017, em termos de passageiros-quilômetros
transportados (RPK, na sigla em inglês), informou a Associação Brasileira das Empresas
Aéreas (Abear). 

A entidade compila dados das associadas Gol, Latam, Azul e Avianca, que representam
mais de 99% do mercado doméstico. 

No mês, a oferta, medida em assentos-quilômetros disponíveis (ASK, na sigla em inglês)
avançou 5,52%. 

Como a capacidade cresceu mais do que a demanda, a taxa de ocupação teve uma queda
de 2,3 pontos percentuais, para 80,7%. 

Em setembro, foram transportados 7,6 milhões de passageiros em voos domésticos, o que
representou aumento de 2,28%. 

No acumulado de janeiro a setembro, a aviação brasileira apresentou um crescimento de
4,51% em demanda medida em RPK, em comparação ao mesmo período de 2017. 

A oferta no ano cresceu 4,88%. A taxa de ocupação média entre janeiro e setembro chegou
a 80,77%, com aumento de 0,29 ponto percentual em relação aos nove primeiros meses de
2017. 

No ano, o total de passageiros foi de 68,7 milhões, com aumento de 2,7%, ou uma adição de
2,4 milhões de passageiros. 

No mercado internacional, as companhias aéreas brasileiras ampliaram a demanda em
RPK em 16,02% no mês de setembro, ante igual mês do ano passado. A oferta em ASK
cresceu 22,28% no mês. A taxa de ocupação das aéreas brasileiras nos voos internacionais
caiu 4,38 pontos percentuais, para 81,16%. O total de passageiros aumentou 8,23%, para
765,5 mil. 

No acumulado do ano, as aéreas brasileiras apresentam crescimento de 15,68% em
demanda. A oferta cresceu 19,44%. A taxa de ocupação dos voos atingiu 82,51%, com
queda de 2,68 pontos percentuais em relação ao acumulado de janeiro a setembro de 2017.
As aéreas brasileiras embarcaram 773 mil passageiros internacionais a mais neste ano até
setembro, somando 6,9 milhões de passageiros, alta de 12,49%. 

Gol

Entre as quatro maiores companhias aéreas do país, a Gol foi a única a apresentar queda
de demanda em setembro, medida em RPK, com variação de 0,54%. 

No mês, a empresa reduziu sua participação de mercado em 1,1 ponto percentual, passando
a 34,65% de participação em demanda. Ainda assim, a companhia manteve-se na liderança
do setor. 

Em setembro, a vice-líder Latam teve um incremento de 0,08% na demanda. A empresa
também perdeu participação de mercado, com queda de 0,82 ponto percentual, para 32,54%. 

A Azul e a Avianca cresceram em demanda e participação de mercado. A Azul teve um
crescimento de 11,66% em demanda no mês passado. Sua participação de mercado
aumentou em 1,56 ponto percentual, para 19,28%. 

A Avianca teve um ganho de 0,35 ponto percentual em participação de mercado, subindo
para 13,53%. A demanda da companhia cresceu 5,27% em setembro. 

No acumulado de janeiro a setembro, a Gol perdeu 0,34 ponto percentual de participação
de mercado, indo para 35,78%. A Latam reduziu a participação em 0,89 ponto percentual,
para 31,85%. A Azul ganhou 0,5 ponto percentual em participação de mercado, chegando
a 18,70%. A Avianca ganhou 0,73 ponto percentual em participação, chegando a 13,66%. 

Cargas

O transporte aéreo de cargas cresceu 11,18% em setembro, em comparação ao mesmo
mês de 2017, chegando a 32,7 mil toneladas de carga. No mercado internacional, o
transporte de cargas aumentou 27,9% na mesma base de comparação, chegando a
24,4 mil toneladas.  

No acumulado de janeiro a setembro, o transporte doméstico de cargas aumentou 13,47%
ante igual período de 2017, para 283,2 mil toneladas. O transporte internacional de cargas
aumentou 31,23% no mesmo período, para 209,9 mil toneladas. 

No mês passado, a Latam Airlines liderou o transporte de cargas nos mercados doméstico
e internacional. No mercado doméstico, a empresa aumentou em 9,15% o transporte de
cargas, para 10,8 mil toneladas. No mercado internacional, teve retração de 0,63%, para
10,9 mil toneladas. 

A Latam Cargo, por sua vez, teve uma queda de 12,9% no transporte de carga para o
mercado doméstico, chegando a 2,8 mil toneladas. Em transporte para o mercado
internacional, houve aumento de 50,09%, para 8,1 mil toneladas. 

A Gol ampliou o embarque doméstico de cargas em 7,26%, para 8,2 mil toneladas. Em
transporte internacional de cargas, a Gol teve queda de 38,93%, para 152,5 toneladas. 

A Avianca aumentou o transporte de cargas para o mercado doméstico em 31,4% em
setembro, para 6,1 mil toneladas. O transporte para o mercado internacional da companhia
cresceu 139,5%, para 3,1 mil toneladas. 

A Azul elevou o embarque doméstico de cargas em 20,78%, para 4,5 mil toneladas. Em
transporte internacional de cargas, a Azul cresceu 80,07%, para 2,2 mil toneladas. 

 

Gol apartará minoritários de companhias operacionais 

Por Graziella Valenti | Valor 

SÃO PAULO  -  Depuradas as primeiras informações sobre a reestruturação societária que
unificará as companhias Gol e Smiles, a principal preocupação que surge é o espaço para
desalinhamento de interesses que a transação cria entre os atuais controladores do grupo,
a família Constantino, e os minoritários das duas empresas. E o impacto desse exemplo
criativo para o mercado.

Na prática, ao fim de uma operação que se dará em seis etapas, os minoritários das duas
companhias serão apartados das atividades operacionais — que estão na Gol Linhas
Aéreas (GLA) e na Smiles — e o Volluto, fundo da família Constantino, se transformará no
único e isolado dono dessa empresa operacional. 

A única companhia que terá capital aberto será uma nova Gol, esvaziada e transformada em
uma holding pura, uma casca que terá como principal ativo as ações preferenciais — com
direitos econômicos majorados — da empresa que vai realmente concentrar as operações de
GLA e Smiles. 

O Volluto é quem deterá as ações ordinárias, com direito a voto, dessa companhia
operacional, que será de capital fechado. Além disso, terá uma fatia também da casca da
nova Gol. 

Tudo foi anunciado como um processo de evolução dos negócios pois culminará na listagem
da Gol, hoje uma empresa do Nível 2 de governança corporativa, no Novo Mercado da B3. 

Em 2013, a Oi também anunciou uma longa reorganização societária que a levaria ao topo
dos segmentos diferenciados da bolsa, o que nunca ocorreu. 

A Smiles já é uma empresa do Novo Mercado, mas será incorporada, num primeiro momento,
por uma empresa de Nível 2. O acionista entregará ações com direito a voto e receberá, em
troca, papéis preferenciais, sem esse direito. 

Consultada, a Gol não quis comentar as críticas e os questionamentos dos minoritários ao
plano de reestruturação. 

O alinhamento de interesse entre acionistas de mercado e controladores foi o principal
objetivo que norteou a criação do Novo Mercado, no ano 2000 — um espaço que aceita
apenas companhias com ações ordinárias e que prevejam 100% de “tag along”, ou seja,
divisão integral com o mercado do prêmio de controle em eventuais alienações. 

Hoje, o fundo da família Constantino possui 61% da Gol, ou seja, o equivalente a
R$ 3,5 bilhões do valor da companhia aérea, conforme avaliação em bolsa. A Gol atual tem
100% das atividades de aviação e mais os 52% da Smiles. 

Em valores, ainda não é possível fazer os cálculos do que terá o Volluto, pois as condições
da incorporação da Smiles e do restante da reestruturação não são conhecidas ainda. Serão
negociadas entre um comitê independente, a ser constituído, dentro da empresa de
fidelidade, e a gestão da atual Gol. 

Embora os detalhes financeiros para incorporação da Smiles (que serão o tema da
negociação do comitê da empresa) sejam essenciais para a avaliação econômica da
reestruturação, o antes e o depois da reorganização são os alvos das maiores queixas de
analistas e investidores até agora. 

Grupos de acionistas estão se articulando para avaliar se vão levar o caso à Justiça ou
apenas à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A Associação de Investidores no
Mercado de Capitais (Amec) enviou uma carta à B3 pedindo que não aceite a listagem da
nova Gol no Novo Mercado. 

“Entendemos que, se cursada na forma anunciada, a operação prejudica não apenas os
acionistas de Gol e Smiles, mas toda a confiança que os investidores depositam no mercado
brasileiro de ações e nos segmentos especiais de governança”, escreve Mauro Cunha,
presidente da associação a Gilson Finkelsztain, presidente da B3. 

Na visão da Amec, para que as ações da Smiles possam ser incorporadas pela Gol, que
não é do Novo Mercado, a operação deveria passar por assembleia só de minoritários da
companhia de fidelidade. “A Bolsa está sofrendo um desgaste de imagem que é
consequência, na origem, de ter aceitado o modelo de superpreferenciais que a Gol já
adota”, afirmou Cunha em entrevista ao Valor.

Os acionistas da Smiles estudam ainda formas de questionar a companhia pelo que
classificam como manipulação de mercado. “Os problemas dessa operação nasceram muito
antes de seu anúncio. Mas agora está mais claro, porque, quanto melhor o resultado de
Smiles, menor seu preço em bolsa, o que é um contrassenso”, disse um acionista de Smiles. 

No começo deste ano, a Smiles chegou a valer R$ 10,3 bilhões e a Gol, R$ 8,3 bilhões. Hoje
a relação de prêmio se inverteu e a empresa aérea vale R$ 5,7 bilhões e a companhia de
programas de fidelidade, R$ 4,6 bilhões. 

Desde o teto na bolsa, em fevereiro, a Smiles perdeu 57% de seu valor de mercado. Somente
no período após o anúncio da transação, a perda acumulada está em 31%. 

Em março, a Smiles surpreendeu o mercado pela primeira vez ao anunciar que cortaria a
distribuição de dividendos de 100% do lucro líquido para 25%. Começava ali o calvário das
cotações da companhia que, desde então, nunca mais recuperaram os patamares do início
do ano. 

A Smiles chegou à B3 em 2013. Na ocasião, captou R$ 1,3 bilhão e usou os recursos obtidos
para comprar passagens de sua controlada Gol. Ao longo dos anos, diante de bons resultados
obtidos com o negócio, a companhia se destacou entre os investidores como uma boa
pagadora de dividendos. 

Era uma forma de remeter o lucro à sua dona e, ao mesmo tempo, dividi-lo com os
minoritários. Conforme as demonstrações de mutação do patrimônio líquido, a Smiles
pagou, desde que chegou à bolsa, R$ 1,65 bilhão em dividendos. Desse valor, 52% foram
para o caixa da Gol. 

“Agora, ficou claro por que a Gol passou a querer reter o lucro da companhia”, disse um
gestor sócio da empresa de fidelidade. No primeiro semestre deste ano, a Smiles teve
R$ 445,2 milhões de receita líquida e R$ 269,2 milhões de lucro líquido. Em todo o ano
de 2017, a receita líquida foi de R$ 919 milhões e a última linha do balanço ficou  positiva
em R$ 458 milhões.

Enquanto os resultados da Smiles são crescentes, os da Gol estão sob pressão, devido à
desvalorização do real, pois a empresa tem os custos em dólar. A empresa teve expansão
de 12% na receita líquida do primeiro semestre, para R$ 5,3 bilhões. Porém, o prejuízo
aumentou de R$ 175 milhões para R$ 1,05 bilhão na mesma comparação. A companhia terá,
até o fim de junho do ano que vem, R$ 1,5 bilhão em vencimento de dívidas, de um total de
R$ 8 bilhões.

Além da lista de críticas à operação, os acionistas também têm dúvidas ainda não
respondidas pela Gol. Entre elas está se a companhia fechada operacional dará “tag along”
às superpreferenciais e se o valor pelo qual a Smiles será incorporada à Gol é o mesmo que
será usado para ser adicionado à GLA. A companhia também não esclareceu esses pontos
ao Valor.

 

Azul anuncia parceria de programa de fidelidade com Turkish Airlines 

Por Cibelle Bouças | Valor 

SÃO PAULO  -  A Azul Linhas Aéreas e a Turkish Airlines assinaram hoje um acordo de
parceria entre a TudoAzul e a Miles&Smiles, programas de fidelidade das duas companhias. 

Pelos termos do acerto, participantes dos dois programas terão acesso a benefícios
exclusivos. Os consumidores também poderão acumular e resgatar pontos da viagem no
programa das duas operadoras simultaneamente. 

De acordo com a Azul, o acordo vai permitir à companhia fortalecer sua presença
internacional. As duas companhias mantêm, desde dezembro de 2017, um acordo de
compartilhamento de voos. Sem citar números, a Turkish Airlines disse que a empresa
aumentou o transporte de passageiros brasileiros para Europa e Ásia, após o acordo de
compartilhamento. 

Com a parceria, a Turkish incluiu seu código de voos nas operações da Azul que partem de
Guarulhos (SP) para 14 destinos no Brasil, incluindo Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Ilhéus
(BA), Porto Seguro (BA), Porto Alegre, Brasília, Foz do Iguaçu (PR) e Florianópolis. 

As ações da Azul eram negociadas nesta tarde a R$ 28,07 na B3, em queda de 2,16%. O
Ibovespa recuava 1,61%, para 83.927 pontos. 


abear no facebook

abear no twitter

São Paulo

Av. Ibirapuera, 2332 - Conj. 22 - Torre Ibirapuera I
04028-002 | Moema | São Paulo/SP
+ 55 11 2369-6007

Rio de Janeiro

Av. Marechal Câmara, 160 - Edifício Orly, 8º andar, Sala 832
20020-080 | Centro | Rio de Janeiro/RJ
+ 55 21 2532-6126

Brasília

SAUS Quadra 1 - Bloco J , 10/20 - Edifício CNT - Sala 506
70070-944 | | Brasília/DF
+ 55 61 3225-5215