Clipping

18/10/18

CLIPPING 18/10/2018

JORNAL O GLOBO

Avião com Melania volta à base aérea por 'cheiro de queimado'

https://oglobo.globo.com/mundo/aviao-com-melania-volta-base-aerea-por-cheiro
-de-queimado-23162176

 

JORNAL DO BRASIL

Infraero licita em novembro edifício-garagem no Aeroporto de Congonhas

https://www.jb.com.br/pais/2018/10/948263-infraero-licita-em-novembro-edificio-garagem
-no-aeroporto-de-congonhas.html

Anac aprova revisão extraordinária de contratos de dois aeroportos

https://www.jb.com.br/economia/2018/10/948271-anac-aprova-revisao-extraordinaria
-de-contratos-de-dois-aeroportos.html

 

FOLHA DE SÃO PAULO

Reestruturação da Gol enfraquece direitos de minoritários da Smiles

SÃO PAULO

A anunciada incorporação da Smiles pela Gol vai forçar os acionistas minoritários da empresa
de programas de fidelidade a receberem ações da Gol com direito de voto menos abrangente
do que tinham, segundo documentos relacionados à transação e cinco pessoas próximas à
negociação.

As ações da Smiles despencaram 40% na segunda-feira depois do anúncio da transação,
com acionistas minoritários enfrentando a incerteza em relação ao preço estabelecido para a
companhia.

Nesta tarde, as ações da Smile operavam em leve alta de 0,52%.

A Smiles é listada no Novo Mercado da B3, que proíbe a listagem de ações preferenciais sem
direito a voto e a reserva de ações com direito a votos para os acionistas controladores.

Sob a estrutura desenhada pela Gol —cuja ações ordinárias são todas controladas pela família
do fundador Constantino de Oliveira Junior por meio de um veículo de investimento chamado
Volluto—  a companhia aérea vai migrar para o Novo Mercado após a incorporação da Smiles.

As empresas listadas no Novo Mercado só podem ser compradas por meio de uma operação
de troca de ações de outra empresa listada no segmento ou em dinheiro.

A atual estrutura de capital da Gol é em parte para cumprir a legislação brasileira que proíbe
a propriedade estrangeira de companhias aéreas. Além das ações com a família, outras
participações, incluindo a fatia da Delta Airlines, são detidas por meio de ações preferenciais
sem direito a voto. A Delta possui 12,3% das ações preferenciais e 9,44% do capital a Gol.

Compradores listados em outros segmentos da B3 são obrigados a fazer oferta em dinheiro
aos minoritários para deslistagem, como a usada pela Latam Airlines na incorporação do
programa de fidelidade Multiplus. Uma transação como essa seria difícil para a Gol, que tem
R$ 600 milhões em caixa e dívida líquida ajustada de R$ 12,1 bilhões. A Smiles tem um valor
de mercado de R$ 3,9 bilhões.

A Gol listada no Novo Mercado vai dar direito de voto a todos os seus acionistas, mas a
companhia terá como único ativo ações preferenciais da GLA, a companhia operacional que
controlará as atividades da companhia aérea e do programa de fidelidade Smiles.

A mudança será um rebaixamento para os acionistas da Smiles, que hoje têm ações na
empresa operadora do programa de fidelidade e também voz nas decisões de gerência da
empresa.

Um acionista da Gol, que pediu para não ser identificado, afirmou que tal estrutura é inédita no
Novo Mercado e pode abrir espaço para questionamento de investidores. "O Novo Mercado
deveria representar uma estrutura de governança melhorada", afirmou.

Outros acionistas reclamaram sobre a decisão da Smiles em março, que cortou a distribuição
de dividendos da empresa de 100 para 25% do lucro. Na ocasião, analistas disseram que a
decisão fortaleceria a liquidez da Gol.

Desde então, as ações acumulam queda de quase 60, incluindo o tombo de segunda-feira, e
alguns acionistas estão questionando o quanto as quedas recentes vão afetar o preço da
Smiles em ações e dinheiro. Entreos maiores acionistas da Smiles estão fundos administrados
por Baron Capital, Morgan Stanley e XP Gestão.

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu uma análise formal da operação pretendida
pela Gol, mas ainda não identificou qualquer irregularidade, disse uma fonte com
conhecimento do assunto. A fonte acrescentou que até terça-feira nenhum acionista havia
feito uma reclamação formal ao órgão regulador.

A Gol afirmou em resposta a questionamentos que todos os detalhes da transação são legais
e não há espaço para questionamento por minoritários. "Quanto ao racional da transação,
acreditamos que nosso movimento está em linha com decisões recentemente tomadas por
outras linhas aéreas e a constante mudança no cenário competitivo do setor de fidelidade",
afirmou a companhia.

 

CORREIO BRAZILIENSE

Anac aprova revisão extraordinária de contratos de dois aeroportos

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2018/10/17/internas
_economia,713322/anac-aprova-revisao-extraordinaria-de-contratos-de-dois-aeroportos.shtml

 

O ESTADO DE MINAS

Anac aprova revisão de contrato de concessão de aeroporto em
Brasília e Guarulhos

https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2018/10/17/internas_economia,997914/

anac-aprova-revisao-de-contrato-de-concessao-de-aeroporto-em-brasilia.shtml

 

AGÊNCIA BRASIL

Anac aprova revisão extraordinária de contratos de dois aeroportos

http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2018-10/anac-aprova-revisao
-extraordinaria-de-contratos-de-aeroportos

 

G1

Aeroporto de Florianópolis abre edital para pontos de venda e serviços

https://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2018/10/17/aeroporto-de-florianopolis-abre
-edital-para-pontos-de-venda-e-servicos.ghtml

 

DCI

Reestruturação da Gol enfraquece direitos dos minoritários da Smiles

https://www.dci.com.br/servicos/reestruturac-o-da-gol-enfraquece-direitos-dos-minoritarios
-da-smiles-1.750244

Anac aprova revisão de contrato de concessão de aeroporto em
Brasília e Guarulhos

https://www.dci.com.br/servicos/anac-aprova-revis-o-de-contrato-de-concess-o
-de-aeroporto-em-brasilia-e-guarulhos-1.750167

 

PANROTAS

Aeroporto de Fortaleza possui 20% das obras concluídas

https://www.panrotas.com.br/aviacao/aeroportos/2018/10/aeroporto-de
-fortaleza-possui-20-das-obras-concluidas_159645.html

A pedido de clientes, Boeing expande área de equipamentos

https://www.panrotas.com.br/aviacao/empresas/2018/10/a-pedido-de-clientes
-boeing-expande-area-de-equipamentos_159641.html

Lucro de aéreas cai no 2º trimestre; latinas têm prejuízo

https://www.panrotas.com.br/aviacao/pesquisas-e-estatisticas/2018/10/lucro
-de-aereas-cai-no-2o-trimestre-latinas-tem-prejuizo_159628.html

A320 da Azul nas cores do Outubro Rosa inicia operação

https://www.panrotas.com.br/aviacao/empresas/2018/10/a320-da-azul
-nas-cores-do-outubro-rosa-inicia-operacao_159630.html

Aeromexico encerra rotas para diminuir prejuízo no ano

https://www.panrotas.com.br/aviacao/empresas/2018/10/aeromexico
-encerra-rotas-para-diminuir-prejuizo-no-ano_159620.html

Gol serve mais de 80 mil mini-hambúrgueres em ponte aérea

https://www.panrotas.com.br/aviacao/empresas/2018/10/gol-serve-mais-de
-80-mil-mini-hamburgueres-em-ponte-aerea_159617.html

Boeing: tráfego de carga aérea vai dobrar em 20 anos

https://www.panrotas.com.br/aviacao/pesquisas-e-estatisticas/2018/10/
boeing-trafego-de-carga-aerea-vai-dobrar-em-20-anos_159612.html

British Airways investe em atendimento e abre lounge

https://www.panrotas.com.br/viagens-corporativas/aviacao/2018/10/
british-airways-investe-em-atendimento-e-abre-lounge_159601.html

Aeroportos dos EUA aumentarão uso de reconhecimento facial

https://www.panrotas.com.br/aviacao/aeroportos/2018/10/aeroportos-dos-eua
-aumentarao-uso-de-reconhecimento-facial_159604.html

 

MERCADO E EVENTOS

Avianca celebra Outubro Rosa com chá da tarde sobre prevenção
ao câncer de mama

https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/avianca-celebra-outubro
-rosa-com-cha-da-tarde-sobre-prevencao-ao-cancer-de-mama/

Emirates lança tarifas promocionais a partir de US$ 1.069

https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/emirates-lanca-tarifas
-promocionais-a-partir-de-us-1-069/

Latam Brasil oferece desconto de até 30% em viagens entre
Rio e Melbourne

https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/latam-brasil-oferece
-desconto-de-ate-30-em-viagens-entre-rio-e-melbourne/

“Happy Hour na Ponte Aérea” da Gol já serviu mais de
80 mil mini-hambúrgueres

https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/happy-hour
-na-ponte-aerea-da-gol-ja-serviu-mais-de-80-mil-mini-hamburgueres/

Movimentação no Aeroporto de Viracopos em setembro é a 

maior desde 2015

https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/movimentacao-no
-aeroporto-de-viracopos-em-setembro-e-a-maior-desde-2015/

TAP realiza ação de recrutamento em SP com mais de
1,5 mil pilotos interessados

https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/tap-realiza-acao
-de-recrutamento-em-sp-com-mais-de-15-mil-pilotos-interessados/

 

JORNAL DE TURISMO

Avianca Brasil organiza evento sobre prevenção ao câncer de mama
e autovalorização da mulher

https://www.jornaldeturismo.tur.br/aviacao/81705-avianca-brasil-organiza-evento
-sobre-prevencao-ao-cancer-de-mama-e-autovalorizacao-da-mulher

 

VALOR

Mais enxuta, TAP deslancha expansão 

Por Cibelle Bouças | De São Paulo 

A companhia aérea portuguesa TAP, que passou por um processo de privatização
conturbado há três anos, tem um plano de expansão até 2022 considerado de baixo risco
por seu presidente, Antonoaldo Neves. Nos últimos anos, a companhia cortou custos e
ficou mais enxuta. Agora vai começar a aumentar a frota de aviões, contratar mais pilotos,
abrir mais voos onde houver demanda firme e buscar aumento robusto de lucro.

A empresa pretende ampliar a frota de aviões, de 90 para 130 até 2022. Em contratações,
o quadro de funcionários está previsto para crescer de 12 mil para 15 mil. O número de
pilotos passará de 1.100 para 1.700. Em receita, a perspectiva é crescer de 8% a 10%
ao ano. No ano passado, a receita ficou em € 2,977 bilhões. A meta para 2022 é
€ 4,4 bilhões.

"Não tenho dúvida de que a TAP precisará multiplicar o lucro líquido por sete nos próximos
anos. Mas considero esse resultado possível, baseado no nosso plano de expansão", diz
Neves, em entrevista ao Valor. Ele assumiu o comando da TAP em 31 de janeiro deste ano.
Já estava na TAP como diretor comercial. Antes disso, comandou a Azul e foi sócio da
consultoria Mckinsey.

No ano passado, a TAP teve lucro líquido de € 21,2 milhões. No anterior, havia registrado
prejuízo. No primeiro semestre deste ano, a receita cresceu de 18%, para € 1,5 bilhão. Mas
a última linha do balanço ficou no vermelho. O prejuízo líquido de € 90 milhões, uma perda
66,7% maior do que a apurada no primeiro semestre de 2017. O prejuízo deve-se a gastos
não recorrentes com reestruturação de € 40 milhões. Excluindo esses gastos, segundo a
TAP, haveria lucro operacional de € 1 milhão.

Neves considera possível atingir margem de lucro operacional de 8% a 10% até o fim de
2022. A melhora no resultado operacional será obtida com aumento na receita, graças à
maior oferta de voos, e com mais redução de custos, segundo o executivo. Ele citou como
exemplo um corte de 15% nos gastos com combustível, esperado com a substituição de
aeronaves antigas por modelos de nova geração.

Neves disse que a maior parte dos ajustes em custos foi feita neste ano. Como parte
desses esforços, a companhia reestruturou a TAP Manutenção e Engenharia (antiga
Varig Engenharia e Manutenção). A unidade cortou em torno de 1 mil funcionários, reduzindo
a equipe para 600 pessoas. E fechou uma unidade de manutenção em Porto Alegre, ficando
com apenas uma unidade no Rio de Janeiro. Neves disse que essa reestruturação levou a
TAP Manutenção ao equilíbrio financeiro.

Na Europa, a TAP fechou cinco escritórios regionais, ficando apenas com unidades na
Inglaterra e em Portugal. A companhia também fechou acordo sindical de cinco anos com
seus pilotos, com previsão de reajuste salarial de 15% nesse intervalo. 

O plano de expansão prevê a criação de 40 novos destinos de voos até 2022, sendo 14
novos destinos em 2019. O crescimento, disse Neves, será feito principalmente para
Estados Unidos e Europa. 

No Brasil, a intenção é crescer em 2019 com a adoção de aviões contendo mais assentos.
A TAP também avalia ter voos diários de Lisboa para Recife, Natal e João Pessoa. "O plano
inicial consiste em ampliar a frequência de voos entre Lisboa e Natal", disse Neves. 

Em 2019, a companhia pretende dobrar o número de voos para os Estados Unidos, com a
criação de voos de Lisboa para Washington DC, Chicago e San Francisco. No ano passado,
os Estados Unidos responderam por 10% da operação da TAP no mundo. O Brasil responde
por 24% e Portugal, por 21%. 

"A expansão que faremos pode ser considerada de baixo risco, porque os novos voos têm
como destinos cidades com demanda firme. O que faremos será competir em tráfego com
outras aéreas", diz Neves. A TAP pode oferecer voos para as Américas a preços mais baixos
do que as rivais, garante o executivo. Isso é possível porque Lisboa está mais perto das
Américas do que outras capitais europeias. Um voo de Lisboa para os EUA custa, segundo
Neves, US$ 2 mil a menos do que voos saindo de outras capitais europeias.

Para ampliar a oferta de destinos a partir de Lisboa, a TAP encomendou 71 aeronaves da
Airbus, que serão entregues entre 2018 e 2025. Desse total, sete estão previstas para até o
primeiro trimestre de 2019. A perspectiva para 2018 é fechar o ano com 96 ou 97 aeronaves
em uso. "Ao todo, 80% da frota de longo curso será renovada em cinco anos", disse Neves.

A TAP também possui 13 aviões da Embraer, cujos contratos de arrendamento vencem em
três anos. Neves disse que a TAP não definiu novas compras com a Embraer. "O foco neste
ano e em 2019 é garantir o recebimento das aeronaves já contratadas. A partir do segundo
semestre de 2019 vamos pensar se faremos a compra de aeronaves da Embraer e de outros
fabricantes", afirmou Neves.

A companhia também está reforçando o quadro de funcionários. Contratou 1.350 pessoas
neste ano. Prevê contratar mais 3 mil pessoas até 2022. Desse total, 600 serão pilotos
contratados entre 2018 e 2020. Neves disse que já contratou em torno de 120 pilotos em
Portugal. Neste mês, a companhia abriu programas de recrutamento no Brasil, na Inglaterra
e na Espanha.

"No Brasil tivemos mais de 1.200 candidatos em três dias", disse Neves, que está em São
Paulo para acompanhar esse processo. O executivo espera contratar pelo menos 50 pilotos
brasileiros, mas não há limite a ser atingido no país. Neves decidiu contratar no Brasil porque
o país possui pilotos com qualidade profissional. "Além disso, o país tem uma cultura parecida
com a de Portugal, o que facilita a adaptação dos pilotos".

Para os próximos anos, Neves estima que a operação no Brasil crescerá em receita entre
8% e 10% ao ano. Neste ano, no país, o crescimento da oferta de assentos foi de 14%. Nos
últimos dois anos, a TAP ampliou o número de voos no país de 70 para 82 voos por semana. 

Em 2017, a TAP transportou globalmente 14 milhões de passageiros. Para este ano, a
previsão é chegar a 16 milhões de pessoas, um avanço de 14,3%. "Estamos conseguindo
crescer e gerar receita para suportar o plano de crescimento, além do esforço para cortar
custos", afirmou Neves. 

A TAP foi privatizada em 2015, em um processo conturbado. O Estado português tornou-se
sócio do consórcio privado Atlantic Gateway, capitaneado por David Neeleman, controlador
da brasileira Azul, e Humberto Pedrosa, dono do grupo português de transportes
Barraqueiro. Em fevereiro de 2016, foi assinado um novo acordo com o consórcio, até então
detentor da maioria do capital. O Estado português passou a deter 50% da empresa; 45%
ficaram com a Atlantic Gateway e 5% com os trabalhadores e colaboradores da TAP.

 

Acionistas de Smiles se organizam para negociar 

Por Juliana Machado | De São Paulo 

A reestruturação societária da Gol levou os investidores minoritários da Smiles, empresa
que administra o programa de fidelidade da Gol, a se organizarem. Eles querem negociar
com a Gol os termos do fechamento de capital da Smiles e a incorporação desta à
companhia aérea. 

A decisão da companhia aérea de não renovar o contrato com a controlada não foi bem
recebida pelos investidores, sobretudo porque o anúncio de integração de negócios difere,
alegam, das indicações que a empresa vinha dando desde o início do ano. 

Um gestor disse ao Valor que participará de encontros com a Associação de Investidores no
Mercado de Capitais (Amec) para que a entidade possa recolher as manifestações e
acompanhar o processo. Em teleconferências e documentos divulgados neste ano, diz o
gestor, os executivos da Smiles e da Gol indicavam um crescimento consolidado de
operações da controlada, com ganho de fatia de mercado e condições de enfrentar a
competição. Um dos argumentos usados pela Gol para incorporar a Smiles é justamente o
acirramento da concorrência em programas de fidelidade.

Para a Gol, a operação faz sentido. Além da geração de eficiência e ganho de sinergia, há
uma movimentação da indústria para absorver suas empresas de fidelidade, como fizeram
Air Canada e Aeromexico. No mês passado, a Latam anunciou o plano de fechar o capital
da sua empresa de fidelidade Multiplus. A Latam informou que pagaria R$ 27,22 por ação da
controlada, um prêmio de 11,6% sobre o fechamento do dia anterior. Em relação a ontem - a
Multiplus ON subiu 0,57%, a R$ 24,66 -, a oferta ainda tem prêmio de 10,4%.

Só que a Gol veio com uma proposta de incorporação, e não de oferta pública para
fechamento de capital, e não deu informações concretas sobre preço e razão de troca de
ações na incorporação. O "timing" escolhido pela aérea para propor a operação também
surpreendeu o mercado, que apostava no uso do robusto caixa da Smiles para aquisições. 

"Faltam 14 anos para o contrato da Gol com a Smiles terminar. Os acionistas que comparam
papéis da empresa de fidelidade na abertura de capital tinham isso precificado", diz um
gestor. "Não somos contra a operação em si e pode fazer sentido em termos de eficiência,
mas a forma que a Gol decidiu e comunicou não foi boa." 

A Gol disse ontem que há expectativa de que a competição entre programas de fidelidade
aumente. A empresa declarou que o arranjo atual não será mais tão competitivo no longo
prazo, um problema estrutural enfrentado por outras aéreas com subsidiárias negociadas
em bolsa. "Todas elas decidiram não renovar seus respectivos contratos operacionais e 
lançaram ofertas para reintegrar seus programas de fidelidade", diz a Gol.

 

 


abear no facebook

abear no twitter

São Paulo

Av. Ibirapuera, 2332 - Conj. 22 - Torre Ibirapuera I
04028-002 | Moema | São Paulo/SP
+ 55 11 2369-6007

Rio de Janeiro

Av. Marechal Câmara, 160 - Edifício Orly, 8º andar, Sala 832
20020-080 | Centro | Rio de Janeiro/RJ
+ 55 21 2532-6126

Brasília

SAUS Quadra 1 - Bloco J , 10/20 - Edifício CNT - Sala 506
70070-944 | | Brasília/DF
+ 55 61 3225-5215